20 de abril de 2017

2º Festival Serra Beer - Miguel Pereira

Amigos confessos,

No feriado da Semana Santa, estive com minha esposa descansando na agradável Miguel Pereira e, já que não poderia ser diferente, prestigiando um evento bacana que propôs valorizar as pequenas cervejarias da região serrana do Rio e de cidades próximas de Minas Gerais e São Paulo. O festival foi realizado na Fenart, localizada no centro da cidade, com espaço para food trucks e muitos estandes de cervejarias. 
Com apoio da Associação de Cervejeiros Artesanais do Rio de Janeiro, estavam por lá muitas cervejarias, dentre elas: Contrabando Condessa, Imperatriz, Lhama Loca, Guapa, Quatro estações, Da Corte, Velha Guarda, Cervejaria Real, Rio Preto, Jairo´s Beer, Besten Cervejaria, Cidade Imperial, Mato Carioca, Therezinha, Antuérpia, Carango´s Beer, W-Kattz e ZuHause Bier (de Miguel Pereira).

Estive por lá na sexta-feira santa e no sábado em diferentes horários e o que pude perceber foi um evento bem organizado e com boa presença de público. Entretanto, parte dos presentes não estava muito interessada em beber cerveja e sim na parte musical e nas comidas oferecidas. Por diversos momentos vi os estandes cervejeiros com poucos clientes ou até mesmo vazios. Além disso o galpão que é fechado, abrigou diversas hamburguerias que, com suas chapas a todo vapor, trouxeram um desconforto defumando literalmente as pessoas que lá estavam. É fato que food trucks devem ficar do lado externo de locais fechados.
Visão geral dos estandes e food trucks
O palco onde houve diversos shows e DJ
As estivas - o dindin do evento

Confesso a vocês que há tempos não via tantas cervejarias novas presentes em um evento. É fato que para conhecermos mais e mais produtores nacionais devemos de vez em quando viajar, nem que seja para locais próximos que cada vez mais investem na produção do nosso líquido precioso. Foi o caso da cervejaria local Zuhausebier, a qual tive o prazer de conhecer a Fernanda Duran, amiga do nosso nobre amigo confesso Claudio Solstice, e bater um papo sobre a produção da ótima microcervejaria, que inclusive ganhou medalha de bronze no Concurso Brasileiro da Cerveja que rolou em Blumenau com a sua ZuHause Bier Dunkel na categoria European-Style Dark/Münchner Dunkel.
Bate papo com a Fernanda da Zuhausebier

Infelizmente ela não estava disponível para degustação, mas nem por causa disso deixei de provar outras duas delícias geladas feitas por eles. Destaco a ótima Zu Bitter, uma Extra Special/Strong Bitter com 6.5% ABV e um amargor muito presente e saboroso. Mesmo não sendo uma IPA, a experiência que temos remete aos lúpulos de forma discreta e muito refrescante. Levei uma garrafa para a pousada onde estava hospedado e, por falta de uma infra maior, peço desculpas pelo copo utilizado na foto.
Zu Bitter

Além da Zu Bitter, também levei pra pousada a Saison Zuhausebier, bem fiel ao estilo com leve dulçor e aroma frutado, uma excelente cerveja para que está começando e para aqueles que querem se refrescar com uma cerveja equilibrada. 
Saison Zuhausebier

Por fim, ainda trouxe pro Rio a Pilsen, a Weiss e a Bock da Zuhausebier para abastecer a geladeira e recordar as boas lembranças de Miguel Pereira. Vamos agora ao meu confessionário do Festival Serra Beer. De uma forma geral, achei as cervejas boas e aderentes aos estilos propostos. É claro que cada mestre cervejeiro tem o seu detalhe de receita e isso faz a experiência ser muito proveitosa. Abro exceção desta avaliação somente em duas que listo abaixo:

Red Ale da Cervejaria Rio Preto com 5.6% ABV 26 IBU: Não gostei nem do aroma, nem do sabor e do seu aspecto. Não sou especialista em cervejas, mas já bebi muitas desse estilo por aí e essa pra mim estava incorreta. Uma pessoa ao meu lado me perguntou se eu estava bebendo um caldo de cana. Enfim, não valeu.
Red Ale da Cervejaria Rio Preto
Bruxelas Belgian Tripel da Madame Machado Cervejas Artesanais: Uma Belgian Tripel com 9% ABV e 40 IBU: Nesse copo tinha uma intensidade tão grande do álcool que eu confesso que tive que jogar no lixo. Ela parecia ter 90% de ABV o que a tornou ruim para degustar. Uma pena, pois sou muito fã do estilo belga, mas essa passou longe.
Bruxelas Belgian Tripel da Madame Machado Cervejas Artesanais
Indian da Mr. Tugas, uma American IPA de 7.2% ABV. Ótima, talvez a mais saborosa dentro do estilo que bebi no evento.

Indian da Mr. Tugas

Extra Special Bitter da Cervejaria Jairo's Beer: Uma Extra Special / Strong Bitter com 5.5% ABV e 35 IBU.
Extra Special Bitter da Cervejaria Jairo's Beer

La Loka da Cerveceria Guapa: Uma Lager com 4.8% ABV 14 IBU, ainda no clima de São Patrício.
La Loka da Cerveceria Guapa
Rauchbier da Mr. Tugas, uma Rauchbier com 6.7% ABV. Aroma defumado inconfundível bem presente nesta saborosa cerveja.
Rauchbier da Mr. Tugas

No mais, as listadas a seguir foram degustadas e todas corretas e saborosas, o que nos passa uma sensação de que nossas cervejarias nacionais estão avançando cada vez mais em suas receitas. Parabenizo cada uma delas pelo empreendedorismo e por trazer pras pessoas a oportunidade de beber menos e melhor!


Hyvä da Casa do Fritz, uma Blonde Ale - Belgian Blonde / Golden de 6% ABV 16 IBU

Shamrock IPA da Quality Beer com 5% ABV 50 IBU

American IPA da Cervejaria Jairo's Beer com 6.2% ABV com 66 IBU;
Red Ale da Schröder Bier com 6% ABV com 27 IBU;
Nova Deli da Madame Machado Cervejas Artesanais, uma IPA - English com 5.5% ABV 55 IBU
Golden Ale da Zuhausebier, uma Golden Ale com 6% ABV 60 IBU;
Irish Red Ale da Zuhausebier, uma Red Ale - com 5.5% ABV 

The Legend of Dark Rider da Cuesta Microcervejaria:  Uma Stout bem saborosa com 3,8% ABV e 41 IBU;

IPA da Cervejaria da Corte 5% ABV 60 IBU.

Slàinte!

0 papos de boteco: